Pular para o conteúdo principal

Fenajufe intensifica atuação no Congresso contra reforma da Previdência

A semana vai chegando ao fim e o trabalho de resistência aos ataques do governo pela retirada de direitos dos trabalhadores contabiliza resultados positivos. Nesta quinta-feira, 14, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM/RJ), anunciou que a discussão e votação da reforma fiam para o ano que vem.

Exposta a contradição dentro da base do governo. Líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB/RO) disse ontem que a votação foi adiada para fevereiro de 2018. Imediatamente o governo, tentando se recompor, desmentiu seu líder por meio do ministro Henrique Meireles, que afirmou que o governo continuaria tentando votar a reforma ainda esse ano. Em seguida o presidente da Câmara Rodrigo Maia, subserviente ao governo, afirmou também que colocaria a reforma da previdência em votação no dia de hoje. O recuo desta quinta-feira representa uma flagrante derrota do governo, demonstrando que não tem votos para aprovar a reforma, mas sabemos que ele tentará se recompor. A orientação é intensificar as mobilizações e barrar a reforma.

Em meio às idas e vindas, a Fenajufe e sindicatos da base continuam trabalho de convencimento no Congresso, com abordagem de parlamentares buscando seu compromisso público. O coordenador Vicente Sousa, atuando na Câmara, conversou com deputados sobre a reforma. Foram ouvidos Glauber Braga, do PSOL do Rio de Janeiro e Henrique Fontana, do PT do Rio Grande do Sul.

A Fenajufe orienta aos sindicatos que continuem a pressão, principalmente nos redutos eleitorais dos parlamentares. O momento é de continuar e intensificar a pressão, até a derrubada do projeto de reforma da Previdência.

Fonte: Fenajufe.