Pular para o conteúdo principal

Servidores do Judiciário Federal protestam contra a reforma da previdência

O protesto se deu no Aeroporto Castro Pinto contra a Reforma da Previdência
NÃO À REFORMA DA PREVIDÊNCIA!

Você quer trabalhar até morrer?” - A pergunta foi o mote do protesto contra a Reforma da Previdência realizado na tarde desta segunda-feira (4), no Aeroporto Castro Pinto, na Paraíba. Naturalmente, todos do grupo de servidores do Judiciário Federal que realizaram o protesto responderam que não queriam trabalhar até morrer para então ter o direito à aposentadoria, como prevê a reforma da previdência. Mesmo a versão modificada do texto ainda fere frontalmente o direito constitucional à aposentadoria digna.

A atividade faz parte das ações contra a Reforma, que incluem um ato público em frente à sede do INSS, em João Pessoa, nesta terça-feira (5), a partir das 9h, com representações de diversas categorias de trabalhadores.

Durante o protesto no aeroporto, os servidores do Judiciário Federal ficaram na entrada principal com cartazes e faixas que desmentem o discurso oficial de rombo na Previdência, ressaltando que esse é mais um direito do trabalhador que o governo quer usurpar. Ao passar rapidamente pela entrada, os deputados Pedro Cunha Lima (PSDB) e Veneziano Vital do Rego (PMDB), afirmaram ao grupo que votarão contra a reforma se ela entrar na pauta.

Após protestar com músicas e palavras de ordem em frente a entrada principal, os servidores realizaram uma performance teatral no primeiro andar do aeroporto. No ato, os participantes encenaram suas próprias mortes antes de terem o direito a se aposentar com dignidade. Os passageiros que se preparavam para embarcar demonstraram apoio às ações do grupo.

Ato no INSS

Conforme aprovado em Assembleia Geral, os servidores do Judiciário Federal também irão participar do ato público contra a Reforma da Previdência, que será realizado nesta terça-feira (5), a partir das 9h. A concentração, que antes seria realizada em frente ao TRT13, deverá acompanhar as demais categorias de trabalhadores e se agregar em frente ao INSS, na Rua Barão do Abiaí, no Centro de João Pessoa. 

Texto: Elara Leite